segunda-feira, 3 de março de 2014


5 comentários:

Paulo Francisco disse...

E ele nos alucina com a sua genialidade.

Um abraço

Ana Bailune disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Bailune disse...

Palavra: um coquetel cuja overdose pode matar. Mesmo assim, nos embriagamos. Lindo demais esse pensamento, Moisés.

Guaraciaba Perides disse...

E é verdade!...a poesia é altamente alucinógena.
um abraço

artista sem pena disse...

Genial!É disso que vivemos!