terça-feira, 9 de abril de 2013

Fragmento LV



Minhas palavras têm a textura de  veludo, 
lavado a seco,
de fralda enxuta ao sol de meio-dia,
banhada nas águas turvas da curva do rio;
odor de peixe fisgado na ante-véspera,
carne seca pendurada no alpendre da venda.
Devoradora de apetites.

Moisés Augusto Gonçalves, in Fragmentos Impertinentes

11 comentários:

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

Tienen la vida. UN abrazo. Carlos

Nenzito (José Maria Gonçalves) disse...

Gostei muito desta "devoradora de apetites".

Eloah disse...

Belo fragmento! As vezes nossas palavras são devoradoras de apetite, mas demonstram nossos sentimentos, no momento.
Bjs Eloah

Sônia Silva - O Universo dos Pensamentos disse...

Adorei...

Bom dia,

bjo

Zilani Célia disse...

OI MOISÉS!
TE VI EM OUTRO BLOG E VIM TE CONHECER.
GOSTEI, PALAVRAS PODEM SER ASSIM, QUANDO DOCES, PERFUMADAS, QUANDO ÁSPERAS, DEVORADORAS DE APETITES...
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Minhas saudações, minha querida Zilani.
Nossos jardins estão sempre floridos...

Dyhego disse...

Musical.
Salu2.

Dorli disse...

Oi Moisés!
Entra no meu blog e não deixa nenhum parecer?
Gostei muito do seu blog, gosto de pessoas inteligentes.
Beijos
Lua Singular

xana morais disse...

"Devoradoras de apetite"...Amei
Obrigada pelo seu olhar no meu espaço.
Bom fim de semana
Um abraço Xana

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Doris,

Gostei muito de sua "lua singular". sempre presente!
Um abração!

Nenzito (José Maria Gonçalves) disse...

Pelas visitas, devorou também corações.