sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Os primeiros Fragmentos



I

Passei dos cinquenta, vivi muitas vidas.
Visito o coreto da praça 
e rebobino os traçados que me fizeram.
São de carne crua 
as marcas cravadas nas trilhas sinuosas
dos muitos ais de que me faço.

II

Pego com as mãos molhadas de memórias
as carências e encantos da infância-severina.
Mãe nordestina, 
rasgando brasis em paus-de-arara.
Pai, matuto mineiro,
 inteligência forjada nas dores,
calejado de estradas.

III

Saboreei fomes degustadas à força
e a indignação vomitando sobre-mesas.
Espantou-me a miséria sorvida aos goles.
Encantou-me um vir-a-ser cravejado de lutas,
a gabiroba, as flores do campo,
a goiaba do mato e as primeiras letras.

IV

Foram poucos os “troca-trocas”,
muitos os desejos que brincaram
 reprimidos em mim.
Pari trocados arrancados da venda do esterco,
da lenha despida de gravetos,
da verdura, do ferro-velho,
dos pés-de-moleque, doces e picolés.

V

Deixou-me a infância a marca indelével 
da luta cotidiana pelo pão e pelo saber,
a vontade aguerrida de não ser um fracasso,
de lutar pelo humano,
ser um eterno menino a perguntar os porquês,
embalado em seu sonho de gente.

Moisés Augusto Gonçalves in Fragmentos Impertinentes 

11 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

gostei de ler esta fome e tantas dificuldades que te fizeram a ti, que me fizeram a mim e a muitos mais neste mundo de Cristo.

Cada um cresceu com vontade de melhorar. Não semeando a revolta interior. Cada um de nós cresceu lutando e conseguindo subir na vida com determinação e vontade de viver melhor, saciando a nossa fome de pão e de letras ...

Ana Bailune disse...

Olá! Em primeiro lugar, o poema está lindo, ele conta uma história de vida muito forte. Em segundo, adorei a nova 'cara' do teu blog, está sensacional. Parabéns!

Paulo Francisco disse...

Gostei e muito do poema.
Parabéns pelo blog.
Um abraço

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Grato pelos comentários.
Um grande abraço!

Guaraciaba Perides disse...

" O sertanejo é, antes de tudo, um forte"
Um abraço

Arnoldo Pimentel disse...

Acho que a luta está em todos nós, mas muitos esquecem e outros prreferem se aproveitar, é a vida.Parabéns amigo poeta.

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

La lucha para ser en la vida, con el espíritu de un niño guerrero, siempre dispuestos a salvar el valladar. Un abrazo. carlos

Arnoya Ari disse...

Vida ... que ela consiste, poema profundo.

ॐ Shirley ॐ disse...

Maravilhoso! Abraços!

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Grato pelos sentidos compartilhados...

Nenzito (José Maria Gonçalves) disse...

Ainda bem que os primeiros fragmentos foram compartilhados. Vida a vida viva!