sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Tanta...



Foto: Sebastião Salgado

A minha loucura não cabe nos livros,
zomba solteira dos ids e egos;
Visita o Olimpo,
transita o nirvana;
Celebra entre lágrimas os naufrágios do amor.
A minha loucura é louca demais,
é insana;
Tem sabor de pão dormido,
é tanta...Tanta...Tanta...!

Moisés Augusto, in ruas vazias de gente

10 comentários:

Arnoldo Pimentel disse...

Loucura que faz o poeta estar sempre sóbrio.

Moisés Augusto Gonçalves disse...

...A lucidez da loucura!

Ana Bailune disse...

A loucura é a válvula de escape da alma.

Guaraciaba Perides disse...

A foto de Sebastião Salgado é a própria definição do poema...magníficos!
Um abraço

flor de cristal disse...

O poema é lindo e a foto doeu meu coração...

Feliz 2013 Moisés!

Beijos!
flor de cristl

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

La locura es propia de los poetas. Pero una locura hecha de utopías y sueños imposibles. UN abrazo. Carlños

Nenzito (José Maria Gonçalves) disse...

Os "loucos" fazem pensar e muito.

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Viva o direito ao delírio...!

Arnoldo Pimentel disse...

Amigo(a) leitor(a) visite o link abaixo e conheça o e-book do concurso haicais de marte, o qual tive a felicidade de vencer com meu haikai “Arrozal” na categoria clássico. Leia o e-book e deixe seu comentário, ele é muito importante. Desde já agradeço.

http://haicaienaomachuca.blogspot.com.br/2013/01/haicais-abduzidos.html

Mariann Lennert disse...

Is madness always despair ?