terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Noite fecunda...



É noite de chuva fina
de orquestra sapônica,
ninando o brejo,
o dorso da serra,
os mistérios da mata
e meus bocejos.

É noite de fina chuva
abrindo beijos em meus jardins;
vermelhos, roxos, laranjas
e aqueles brancos, tão raros
quanto a sinceridade dos homens.


Moisés Augusto Gonçalves, in Fragmentos impertinentes

10 comentários:

Ana Bailune disse...

Tudo lindo: principalmente, a orquestra sapônica.

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Grande e insinuante orquestra...

Guaraciaba Perides disse...

Linda imagem e lindos versos! De quem conhece a chuva na serra...saudades de Minas Gerais.
Um abraço

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Minha querida Guaraciaba,

Sua presença é sempre enriquecedora. Que tal "matar as saudades" de nossas Minas Gerais?

Dyhego disse...

Sin duda, la lluvia fina es la mejor.
Salu2.

Nenzito (José Maria Gonçalves) disse...

Os encantos da noite, da chuva e do coração. Gostei!

Rita disse...

Olá boa tarde!!
Encontrei você nas minhas visitas
vim conhecer seu Blog e adorei tudo
por aqui, é bonito e de bom gosto
Parabéns pelas belas postagens
Deixo um abraço carinhoso
Bjuss pelo poema
Rita!!!
http://cantinhovirtualdarita.blogspot.com.br/

Lucimar da Silva Moreira disse...

Poemas lindos que encantam a nossa vida. Moisés obrigada pela visita, também já estou te seguino, beijos.
http://www.lucimarestreladamanha.blogspot.com
http://www.lucimarvirtual.blogspot.com

Júlia Maria Amorim Freitas disse...

Que beleza!

ANGEL disse...

Um bocejo e um cantarolar que só quem é nordestina conhece bem essa orquestra! (risos)... Gostei muito!Parabéns, sempre!