sexta-feira, 27 de julho de 2012

Fugaz

Não mais que uma palavra
e quase tudo se dissipa:
o vermelho escarlate das vaidades,
a tolice dos que se atolaram na mesmice,
a mecha rascunhada de preto no desenho do suicida.
De quebra,
o triunfo fugaz dos demagogos,
as promessas decantadas nos palanques,
a sordidez dos palácios e suas armadilhas,
o vazio do vazio que nada acrescenta
a não ser mais vazio...

O que fica?
A força da palavra suspensa sobre colunas de perguntas,
pronunciada sem parcimônias no dia das proibições,
persona non grata - de tão atrevida -,
seta certeira que atinge tendões de Aquiles
e flutua serena nas águas do mar que não se sabe morto.

Moisés Augusto Gonçalves, in Depois de muitas luas

13 comentários:

Berzé disse...

Bom vc não abrir mão dessa força toda.Com beleza tbem, mas com força.
Abração, velho!
Berzé

Moisés Augusto Gonçalves disse...

"È preciso ter raça, é preciso ter garra, é preciso ter força...Sempre!"

Lapislazuli disse...

Muy intenso
Un abrazo

João Esteves disse...

Volto cá, Moisés, depois de nem sei mais quantas luas, sigo-lhe o blog. Leio o presente post e me recordo das outras leituras que aqui fiz. É, o mesmo Moisés de sempre que versifica e filosofa, fala sério e brinca. Grande abraço.

Lasse disse...

Marvellous picture !

Moisés Augusto Gonçalves disse...

João,

Parabéns pelo "Bonde"! Continua "andando" e descortina paisagens fantásticas...!

Márden Moreira de Carvalho.... disse...

O mais importante é o que fica!

Márden Moreira de Carvalho.... disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Nenzito (José Maria Gonçalves) disse...

Fica a grandeza do coração e a coragem do grito.

Osvaldo Rene Alberto disse...

La palabra posee una fuerza única, pero a veces el oido no detécta cuando esa palabra es hueca y el daño es grande.
Buena entrada.
Un abrazo

Eloah disse...

Belo poeta, adoro tuas visitas e a maneira incentivadora de teus generosos comentários.É sempre um prazer ler teus lindos poemas.
Linda tarde de domingo.Bjs Eloah

MA FERREIRA disse...

Moisés..sempre bom te ler...

Quando tropeçamos temos duas opções...
ficar no chão ou sacudir a poeira
..... tenho optado pela segunda..
tem dado certo..

Beijo.sucesso..paz...cores

Virginia Rosa disse...

Suas palavras nos deleitam, nos acariciam, nos incomodam, nos fazem pensar ... sempre. Isso é literatura de verdade, catucar fundo.
Grande abraço!!!