quinta-feira, 31 de maio de 2012

O penúltimo fragmento


Pés- Magritte

Piso novamente esta terra, descalço de pés e alegrias.
Vem de longe o sabor 
tantas vezes requentado do estar juntos;
Temperado com vinagre e mel de abelha-rainha;
Servido com ervilhas. 

Sinto o odor apimentado das injustiças;
Meus mirantes projetam olhos de lince,
vejo além das cordilheiras.
Escalo meus Andes e Everestes, sem vertigens.
Navego tempestades agarrado nas águas, 
âncoras onduladas.

São gorjetas os dias que me restam.
Passei dos cinquenta, vivi muitas vidas,
singrei os meus mares. 
Rompi algemas,
derrubei senzalas e o fascínio do poder.

Na andropausa da vida, 
o calor brota de dentro.Coisa dos “enta”.
Não me vendi por trinta moedas.
Ainda sou húmus. Fecundo mentes e corações.

Deixo rastros, marcas inscritas nas paredes de pedras.
Em tom vermelho. 
Agora sou uma epígrafe no epílogo da vida,
 post scriptum de múltiplas façanhas.
Incompleto e inconcluso, tropecei muitas vezes.
E eis-me de pé, alerta, bradando impetuosamente:
Outra vez! Intensamente!!!

Moises Augusto Gonçalves, in Fragmentos impertinentes

11 comentários:

Guaraciaba Perides disse...

Os ciclos da vida são sempre recomeços...cabe a nós viver cada um com o mesmo empenho e apetite.
Um abraço

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Estamos sempre a recomeçar...

Nenzito (José Maria Gonçalves) disse...

Pisando com firmeza esta terra. Belo!

•°•.•°•.♥*•¸♥.Lluviaenelsilenciodelanoche•*•¸♥ ♥. •°•.•° disse...

You write so beautiful. e interesting.

hugs

Arnoldo Pimentel disse...

Um belo e intenso poema, parabéns poeta.

Moisés Augusto Gonçalves disse...

Compartilho a intensidade do momento sem hipocrisias...
Seja feliz!

Lasse disse...

Wonderful post!

Márden Moreira de Carvalho.... disse...

fAZ PENSAR E MUITO...

Odair Ribeiro disse...

Visitando, conhecendo,e gostando. Inte!

Moisés Augusto Gonçalves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Moisés Augusto Gonçalves disse...

Meu caro Odair,

Seja bem-vindo aos meus jardins...