terça-feira, 27 de setembro de 2011

Suculentas


Duas suculentas montam guarda em meu escritório,
vistosas e serenas como só cabe às crianças e às plantas.
De quando em vez, passeiam pela casa
em seus vasos de parafina e pó de pedra;
Sobre dois pés em câmera lenta e mãos de seda e porcelana.

Vasos moldados por mãos de cinco dedos,
uma idéia dançante e algo mais.
O pequeno apartamento tornou-se viveiro de mudas
entoando a valsa das flores.
Jardineiro das horas livres,
estou algemado em suas folhas
e me nutro desta seiva que corre sem cronômetros
em seu caule tenro.

Podium de primores e belezas castas.
Suculentas na cor, na forma,
na seiva, na discrição verde-musgo,
num “não sei que” que me tira dos livros e devolve ao útero.
Cúmplices do verso e do reverso,
sentinelas das paixões que me governam:
o amor que quer amor, o saber que não se sacia,
o pulsar juntos ao ritmo da mesma dor.

Dialogo com meus ids e egos, alter cansado de mim.
Com elas, as suculentas, o diálogo é sinfonia de flertes,
sedução do colo amigo,
repouso de pupilas e línguas cansadas.
Alguma coisa de oásis...

Moisés Augusto Gonçalves, in Ruas vazias de gente

13 comentários:

M. disse...

Escreves bem. E sabe bem ler-te:)

Parece pouco? Engana-se quem assim pensa:)

Eloah disse...

Lindíssimo!!! Amei."O pequeno apartamento tornou-se viveiro de mudas entoando a valsa das flores."
Deste-me asas para voar.Tuas palavras adquiriram vida no meu coração e acompanhei tua criação.
Seja feliz.Bjs Eloah

Guaraciaba Perides disse...

Um bom momento que deve ser comemorado,momento de estar bem com a vida...faz bem à alma.
Um abraço

manuela barroso disse...

De um sentimento poético que ultrapassa a normaidade.
Autêntico momento de poesia!
Abraço

A partir de uma palavra disse...

Lindo sentimento poético. Resaltar a simplicidade do cotidiano com a riqueza das palavras. Show de Bola!

Moisés Augusto Gonçalves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Moisés Augusto Gonçalves disse...

É sempre com muita alegria que leio os comentários postados!
Visita marcada pela sinceridade da poesia!
Beijos!

O que Cintila em Mim disse...

Alguma coisa de deserto se esconde nesse oásis.

Nenzito (José Maria Gonçalves) disse...

"Vistosas e serenas como só cabe às crianças e às plantas..."
Gostei muito!

Márden Moreira de Carvalho disse...

Um belo poema meu caro,continue assim vivendo em versos grandiosos...

Berzé disse...

Por causa de duas suculentas!Vc é foda Moisés!
Abração!
Berzé

Luciana Mira disse...

Boa tarde!

Vim aqui hoje pra dizer que meu blog mudou. Tive que fazer uma outra conta porque a minha antiga deu problemas com invasão de vírus. Aconteceu comigo e vários outros blogs.

Entao venho te convidar a seguir meu novo cantinho, o www.queiratocaroceu.blogspot.com

Estarei colocando posts do outro e mais novos também. Fiz também uma página do meu blog no Facebook,caso vocÊ tenha Facebook, você além de seguir meu blog, pode também curtir a página na caixinha do lado direito do blog.

Bom, é isso. Vou ficar super contente em te ver meu novo cantinho, então, não deixa de passar lá, ta?!

Beijos e boa semana!

Luciana Mira

Sél disse...

Digo que leio tantas poesias e sempre há algo de novo para ler
Tudo é motivo de poesia - prá quem sabe encontrar palavras para uma bela poseia!^^
Até suculentas rsrsrsrs

Beijos Moisés