quarta-feira, 23 de março de 2011

Bartolomeu suga seus versos das têtas da lua,
cheia da líquida alvura que apetece.

Traz seus lábios colados ao bico esquerdo do peito,
homem de pouca razão e muitos sentidos.

Louco das ruas, louco da lua,
encantos que escorrem dos rastros de Bartolomeu!

Moisés Augusto Gonçalves, in Fragmentos impertinentes

6 comentários:

MA disse...

Hola Moisés bello blog hermoso.
Gracias mil por ser seguidor de mi blog ,tu blog amigo, desde este momento soy seguidora de tu blog.

Abrazos fraternales de MA para ti.

Berzé disse...

Daonde sai essas impertinencias todas?
-Sei q da vida.Testemunhei um pouco isso.
Abração amigo!
Berzé

Leni disse...

Loca la luna es la mas bella¡
Un placer seguirte.
Beso desde una de las esquinas de la luna ;-)

Shirley disse...

Achei lindo, Moisés...Abraços.

Marcio Nicolau disse...

Moisés,

belos versos. Cheios!

Sopro Vida Sem Margens disse...

Nos braços e rastos de Bartolomeu os versos navegam in-temp-orais de boca em boca!

Um beijinho
da
Assiria