domingo, 6 de fevereiro de 2011

Hoje,
acordei sentado em cadeiras de vento,
adormecido em meus silêncios,
devolvido ao ventre...

Moisés Augusto Gonçalves, in Fragmentos impertinentes

5 comentários:

Ana Kalil disse...

Olá querido poeta...!
Tem dias que também acordo assim...

Beijos

Gudrun disse...

Du har skrivit mycket fint.

Önskar dig en fin dag.

Guaraciaba Perides disse...

Gosto muito de seus escritos, pricipalmente dos introspectivos, mas nem sempre faço comentários porque eles em si se bastam...mas o sigo fielmente.Um abraço fraterno

Tania regina Contreiras disse...

Assentar-se ao vento...e voltar ao ventre: quem já não o sentiu???
Beijos,

Bruno JP Teixeira disse...

UM TANTO FILOSÓFICO, SEI LÁ!
PROFUNDO TALVEZ, OU SINESTÉSICO DEMAIS... HEHEHE

Abrçs.
Bruno JP Teixeira - O Portuga
http://brunojpteixeira.blogspot.com/