sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Rosto de lua

As mãos dos olhos tocam teu rosto de lua.
Beijos de pés de montanhas próximas do longe,
arfar de pulmões com ares de mata virgem,
odor verde de folhas largadas ao vento.
Cor de madrugada curtida em tonéis de exílios,
fermentada na doce esperança do retorno,
ainda que tardio.

Moisés Augusto Gonçalves, in Depois de muitas luas

7 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Ah, sim...olhares táteis...eles parecem tocar mesmo. as mãos dos olhos...
Belo o teu poema...
Beijos,

Maria disse...

No hablo portugues pero creo haber comprendido casi todo tu poema, lo que no se recibe por medio de la razon o entendimiento, se recibe por medio de los sentidos..y esta es una poesia para sentir.

Saludos.

Ari disse...

Boa foto e de texto fino. Você está familiarizado com este blog, http://ligiaguerra.blogspot.com/
vou lê-lo, também.

R.B.Côvo disse...

Belo texto. Abraço.

Lasse disse...

Marvellous photo !!

Shirley disse...

Belo poema, Moisés. Gostei. Beijos!

Maria Emilia Moreira disse...

Uma bela imagem!Apela ao sonho e à fantasia. As palavras casam-se maravilhosamente com a foto.
Um abraço.
Maria Emília