domingo, 23 de janeiro de 2011

Imagem: httpsmagane-wiatrem.blogspot.com 

Deixou-me a infância a marca
indelével da luta cotidiana pelo pão e pelo saber,
construído com as mãos calejadas,
o múrmurio do estômago
e um passo à frente;
a vontade aguerrida de não ser um fracasso,
de lutar pelo humano,
ser um eterno menino a perguntar os porquês,
embalado em seu sonho de gente.

Moisés Augusto Gonçalves, extraído do Fragmento I
in Fragmentos impertinentes

9 comentários:

GYPSYWOMAN disse...

a beautifully poignant image! beautiful!

Tania regina Contreiras disse...

Um privilégio essas marcas da infância. Hoje você me traz o pão que alimenta o sonho: a poesia. E essa singularidade tão bela no dizer-se.
Beijos,

muiraquitã disse...

Grande Moises Capeta! O mundo de hoje pede novos Capetalistas,

submissa flor de cristal{LB} disse...

Oi Moisés passei horas aqui lendo seus posts. Aqui é um lugar mágico onde poesias, imagens e fotos se confundem.

Voltarei...

Descobri por seu intermédio o blog do seu tio, o Nenzito. Que achado, me encantei.

Eita família de grandes talentos, parabéns.

Até mais ver!

Beijos e ótima semana, pra vc!

flor de cristal{LB} .

Josú! Barroso disse...

Olá, parabéns pelos seus trabalhos! Muito sucesso...

Luís Coelho disse...

Desejo que nunca te doam as mãos nesses propósitos que te enchem a alma de esperança.
Desejo que essa luta se mantenha e te mantenha vivo todos os dias.
É preciso acordar e agarrar esse pão de cada dia e procurar soluções que se nos escapam de vez.
Gostei muito deste texto

Alexandre Ferrari disse...

Primeiro, dizer que o blogue é lindo! Parabéns. E se isso já não fosse muito, a sua poesia ultrapassa: ele é visual!

H. DARÍO GÓMEZ A. disse...

Saludos desde Colombia, Maestro. Me gusta mucho su blog

Dano Rodriguez disse...

Pasé por tu lugar, múltiple lugar. Moisés. Pero Sonia. Pero Nenzito.
Clarito, no sé qué pero clarito.
Ustedes son tan exuberantes, tan oximorónicos, monte de mares, aire de piedras, puente de paredes, vuelo quieto. Todos ustedes son puro tiempo.
Ojalá que hoy se sientan felices porque han comenzado a vivir un aun más nuevo tiempo novedoso, preñado de antiguos futuros perdidos.
Gracias por visitar mi bloguito.
Volveré.
dano