terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Fragmento XIX


As pastagens de minha solidão
estão povoadas de multidões.
Minha mudez é grito sem eco,
eloqüência sem verbo,
dança de lábios e línguas.

Moisés Augusto Gonçalves, in Fragmentos impertinentes

5 comentários:

Bruno JP Teixeira disse...

Nossa as imagens se movimentando do lado esquerdo do blog ficaram muito legais....

Abrçs.
Bruno JP Teixeira - O Portuga
============================
http://brunojpteixeira.blogspot.com/
Convido todos a visitarem e seguirem meu blog.

Fєrnαndєz ♠♠ disse...

Mais uma vez me deparo com um passagem poetica belissima.

Muito bom mesmo!!

* Inés * disse...

Un honor que haya leído mi blog. Gracias desde España-
Vuelva cuando quiera, es su casa.

Laísa disse...

gostei muito de seus escritos...
vou continuar passeando por aqui.

deixo um beijo.

Amapola disse...

Eu não consegui ver as imagens.
O poema é lindo, e aquela frase da abertura também. Amei!!

Um grande abraço.