quarta-feira, 15 de dezembro de 2010



Para onde foste?
Ainda pouco te toquei com meus versos,
saudei teus primores
e saltos no escuro...
Fugiste por quê,
menina-moça enluarada?
Te amei sem rimas,
feri teu pudor?
Invadi teus jardins,
pisei tuas flores,
pronunciei a palavra proibida?

Por que agora te escondes,
se ainda há pouco eras presença
- a única –
um convite ao amor?
Aguardarei teus acenos,
Tu que brincas de mexer com os corações...

Moisés Augusto Gonçalves, in Depois de muitas luas

5 comentários:

Tanja E. disse...

Hello, compliments on your blog. I can not understand the words, but there are a lots of impressive photos. Thanks for stopping by and visiting my blog. Warm regards from Slovenia/Europe!! :))

Thaís Livramento disse...

Catatusca!!!
Vim bjar ocê tbm!
Rsrsrsrsr...

Luís Coelho disse...

Gostei muito deste poema.
A mensagem é muito bonita quando se ama.
É consequência de quem tem um coração de carne. O meu foi aprendendo a calcular para não andar sempre de dor em dor.

Amapola disse...

Bravo!!! Amei...

Estou lhe seguindo.
Fiquei feliz, com o seu link no meu blog. Muito obrigada.

Um grande abraço.

Mariann Lennert disse...

Beautiful!