sábado, 4 de dezembro de 2010

Fragmento XIV


 Sou de cepa robusta e atrevida.
 Tenho raízes fincadas nas ruas.
Labirintos de galhos esparramados
nas escadarias da Igreja e nas ruas da lama.
Meus lábios estão colados às tetas da puta
e aos falos embriagados.
Tronco retorcido de muitas batalhas,
meus frutos amadureceram no inverno.

Na copa da vida,
floresço dignidade,
ornada de estigmas,
penca servida a todos.
São flores esses restos largados ao chão
e uma fruta caída.

Moisés Augusto Gonçalves, in Fragmentos impertinentes

3 comentários:

Tertúlia Pão de Queijo disse...

Saudações Moisés!

Deixamos o convite para você dar um chego na Tertúlia Pão de Queijo.
Sinta-se em casa!

Um forte abraço.

Thaís Livramento disse...

Catatau, você é foda mesmo!
Escreve muito!!!
Saudades...
Bjbj,
TL.

Berzé disse...

Moises Augusto Gonçalves Capetalisno.
Abração
Berzé