domingo, 24 de outubro de 2010

Fragmento XXX

Como a águia aos 40,
faço opção por mais algumas décadas.
Por isso, ocupo desertos estranhos.
Na caverna erma e fria ,
arranco pedaços de mim
e os refaço sem escrúpulos.
É meu esse tronco quase retorcido,
de casca grossa, chamado corpo.
Beijado por lábios ternos
e porradas muitas,
comido por muitas fomes,
celeiro de carícias e buscas tantas...

É minha, toda minha, Oh, gentes!
Essa carcaça-fortaleza de labutas incontáveis,
forjada nas lutas.
Essas muralhas vestidas de festa,
entrecortadas pelo (en-)canto da sereia
e viúvas em dia de finados.

Moisés Augusto Gonçalves, in Fragmentos impertinentes

3 comentários:

Atenea y Xena disse...

Hola moises, me gusta lo que leo y lo que veo, aunque la traducción de la pagina me lia un poco jejejje. Un beso

mazeermohamad disse...

follow you~ even i didn't understand your words, i still interest of it and of coz it was really2 interesting! hehehe! keep it up!

Ira Buscacio disse...

Moisés,

A carcaça sua e de tantos, as fortalezas dos sentidos.

Muito lindo.
Bjsss