sábado, 14 de agosto de 2010

Ouço a eloquência desse olhar
 e me encho de perguntas...
Muitas.
Forradas de ontens e hojes,
vestidas com a cor dos amanhãs
que bailam em pupilas,
ainda orfãs de  caminhos...

Moisés Augusto Gonçalves, in Fragmentos impertinentes

Nenhum comentário: