segunda-feira, 14 de junho de 2010

Recolho algumas pétalas
- despedaçadas, despidas do todo -
trazidas pelos ventos do sul e seus segredos.
Sabe-se lá de onde, de que jardins ou canteiros,
de que jarros ou gestos de amor,
foi arrancada no outono da vida,
tragada por forças estranhas
e lançada...lançada em minhas mãos...
aos pedaços...
aços...aços...aços...
não rima com flor.

Moisés Augusto Gonçalves, in Fragmentos impertinentes

Nenhum comentário: